Solidão a dois
16/01/2009 - A pior solidão é a que se sente quando se está acompanhado. Solidão é um sentimento forte, traz dor, tristeza e por isso também buscamos ao outro...

Solidão a dois

A pior solidão é a que se sente quando se está acompanhado.

Não sei o autor desta frase, mas sem dúvida é alguém que já esteve sozinho
em uma relação que supostamente deveria ser a dois. Solidão é um sentimento
forte, traz dor, tristeza e por isso também buscamos ao outro, para não
ficarmos solitários em nossos próprios pensamentos, em nossa vida, em nossos
egoísmo excessivo. Agora, imagine se sentir sozinha mesmo com alguém ao seu
lado...a propósito, como está seu relacionamento?

Se ela apenas bate a cabeça ou resmunga algo indecifrável enquanto você fala
do seu dia, ou se ele parece estar no mundo da lua enquanto você conta sobre
o seu sentimento, sim, você pode estar no ritmo dos solitários acompanhados.
E, acreditem, não é nada divertido um tango dançado só.

O amor é algo a ser vivenciado a dois. A troca de sentimento, o
companheirismo, a parceria. Se está disposto a namorar, tem que saber que
deverá de comprometer com o outro. Não adianta assumir algo apenas para
dizer que está junto. A isso se chama comodismo. Também não é apenas se
relacionar quando se está frente a frente, beijando, abraçando e ao sair da
companhia esquecer do outro, sem lembranças, carinho, mensagens, sinais de
afeto, a isso se chama sadismo.

Você é o passivo, o sádico ou aquele que tem respeito por uma relação? Se
estiver entre os primeiros é bem provável que sofra da falta de semancol.
Reflita sobre em que direção está andando sua relação. Se os olhos não
batem, as cabeças rebatem e a solidão lhe acompanha mais que o seu parceiro,
há algo fora de lugar, será o egoísmo de uma das partes ou falta de
amor-próprio?

Homens e mulheres continuam neste ninho vazio muitas vezes por medo do que
encontrarão estando apenas na própria companhia. Se você é um destes, a
reflexão deve ser ainda mais profunda, a auto-estima não deve estar tão em
alta quanto deveria, ou talvez nem exista mais, sufocada entre a passividade
e o medo de arriscar viver.

Aproveite a época de fim de ano e faça uma reflexão necessária, para você e
para aquele que não aguentará muito tempo sua passividade e ausência. Para
ajudar, lembre de Nietzsche "Odeio quem me rouba a solidão sem em troca me
oferecer verdadeira companhia" e faça alguém feliz - longe ou perto de você.

Mayara Paz
www.facebook.com/mayarapaz
Colunista Seção Relacionamentos
mayarapaz@hotmail.com
(61) 9832-0923