Milagres e práticas alternativas
30/01/2012 - Milagres e práticas alternativas. Quem já não ouviu falar ou mesmo experimentou, se não pessoalmente, mas com alguém próximo, casos de cura.

Milagres e práticas alternativas

Milagres e práticas alternativas

Quem já não ouviu falar ou mesmo experimentou, se não pessoalmente, mas com alguém próximo, casos de cura, de remissão de doenças incuráveis ou ainda a recuperação, por exemplo, do movimento das pernas ou da fala quando o diagnóstico médico era de que a pessoa jamais voltaria a andar ou falar?

É muito comum ouvirmos histórias desse tipo e elas são surpreendentes, pois fogem da nossa capacidade de compreensão ao violar o nosso senso do dia-a-dia e desafiar as leis da física e das ciências, conforme conhecemos hoje. Em geral, atribuímos a recuperação a um verdadeiro milagre!

De fato, quando não encontramos uma explicação científica ou médica, a saída é dizer que foi um milagre ou, então, quando médicos se vêem tolhidos e sem o suporte das ciências exatas para dar melhor esclarecimento, acabam justificando a recuperação com o famoso: "erro de diagnóstico".

No entanto, o erro diagnóstico nem sempre se aplica quando há evidências contrárias irrefutáveis, como foi o caso de um homem de 90 anos de idade, no Oregon, USA, que sofreu um ataque cardíaco agudo. Embora seja contado em tom de anedota, os médicos quando chegaram a casa do senhor o pronunciaram morto. Porém, a filha foi capaz de administrar extrato da pimenta cayena na boca do pai e dentro de alguns minutos ele recobrou a consciência. Imediatamente, ele foi levado ao hospital às pressas e enquanto permaneceu em estado semi-consciente a filha continuou dando o extrato. Ao chegar ao hospital o senhor havia recuperado totalmente os sentidos e insistia ser levado de volta para a casa, pois queria continuar cortando grama. Quando o médico perguntou o que a filha havia dado ao pai e ela explicou que era pimenta cayena, surpreso, ele disse que era um milagre!

"Milagres" são comuns na literatura e nas práticas alternativas, onde, cada vez mais, encontramos soluções e respostas para muitas doenças e condições que a medicina tradicional ainda não é capaz de dar, apesar do avanço tecnológico. Nos últimos anos, a pimenta cayena, entre outras propriedades terapêuticas, ganhou destaque por ser uma erva capaz de parar o processo de um ataque cardíaco em até 30 segundos, segundo afirmam alguns médicos herbalistas.

Recentemente, estive estudando na Escola para Auto-Cura, "School for Self-Healing", em São Francisco, e presenciei o progresso incrível de pessoas com distrofia muscular que estariam limitadas ao uso de cadeira de rodas, em pouquíssimo tempo, não fosse o extraordinário trabalho alternativo envolvendo o movimento com o corpo, massagem e respiração.

A técnica, desenvolvida por Meir Schneider, tem ajudado muitas pessoas a não somente impedir o progresso de doenças ditas "incuráveis", mas até mesmo reverter quadros já instalados e trazer de volta a esperança de uma vida praticamente normal.

É o caso de Melissa Moody, um exemplo admirável de superação e do poder de recuperação latente que existe em nós. Após sofrer dois acidentes de carro no intervalo de cinco anos, que a deixaram com o rosto desfigurado, seqüela cerebral, costelas quebradas, pulmão perfurado, visão dupla, uma série de problemas musculares e ruptura e hérnia de disco no pescoço, Melissa trabalhou anos com a técnica Self-Healing na própria recuperação e mais tarde tornou-se terapeuta e diretora da escola. De volta a sua cidade, Texas, sua história hoje consta do mais novo documentário sobre felicidade - Happy.

Exemplos como esses nos mostram a capacidade que temos de influenciar o corpo através da mente e a mente através do corpo. Juntos, eles produzem verdadeiros milagres!

Toque Feminino
redacao@toquefeminino.com.br